Skip to content

O que discutimos no caminho?

outubro 19, 2010

Por Henrique Luna

“E chegaram a Cafarnaum. Quando ele estava em casa, perguntou-lhes: “O que vocês estavam discutindo no caminho?”Marcos 9:33

 

Momentos antes os discípulos tinham receio de indagar a Jesus sobre sua crucificação. Não entenderam o fato mais importante do seu ministério. Não se viram preparados para fazerem perguntas a ele sobre o assunto que ele mesmo disse era o mais importante. Mas, logo em seguida se acharam aptos para opinarem sobre grandeza no Reino. E nós? O que é que nós discutimos no caminho? O que é que debatemos com irmãos? Será que é quem deve mais a ele? Será que debatemos sobre quem terá o privilégio de ser último na fila ou primeiro a pegar na vassoura? Alguém já quis discutir quem pode sofrer mais, perder mais, por causa de Jesus? Temos discussões, mas, não essas. Se pararmos para refletir sobre o sacrifício de Jesus e buscarmos realmente entender o que ele fez por nós, a maioria das discussões acabarão assim que lembrarmos porque ele teve que fazer aquilo. Foi para salvar pecadores como nós. Nem no caminho somos dignos de andar, e muito menos discutindo besteira como quem é maior. Que possamos encorajar, apoiar e ajudar quem anda nessa estrada junto conosco. Foi para isso que Jesus nos colocou aqui.

 

O Que não me Faltará? Salmo 23:1

outubro 18, 2010

Por Emmanoel Jetro

O senhor é o meu pastor, nada me faltará. Salmos 23:1

Já ouvi em toda minha vida inúmeras interpretações para este verso do salmo 23: Nada me faltará por que nada de bom me faltará ou nada me faltará por que nada de bom e mal me faltará, tem até as que colocam um “E”, e nada me faltará, arrumam uma explicação gramatical pra justificar sua interpretação e pronto, mas sempre as interpretações estão trazendo lições materiais ou falando de faltas com relação às provações, falta disso ou daquilo, farturas e prosperidade.

Mas tem uma interpretação que de fato gosto mais e me conforta o coração, por que ela não trata de bens e nem de coisas que alimentam minhas vontades materiais, mas quando Davi diz nada me faltará, embora tudo lhes falte, Deus é suficiente e preenche todos os vazios que possa haver em sua existência, e supri todas as necessidades sejam elas quais forem, tanto materiais como espirituais.

Que possamos refletir nisso e que nossa relação com o Pastor não seja uma relação de pasto-comida, mas que haja de fato relacionalidade, contemplação e intimidade. Que Deus não seja pra nos um simples provedor de benção, mas que seja nosso amigo, aquele com quem dividimos nossas dores, alegrias, e em quem está o nosso refugio e a nossa morada eterna.


Vai encarar?

outubro 13, 2010

Luiz Felipe Pondé

SOU CONTRA o aborto. Não preciso de religião para viver, não acredito em Papai Noel, sou da elite intelectual, sou PhD, pós-doc., falo línguas estrangeiras, escrevo livros “cabeça” e não tenho medo de cara feia.

Prefiro pensar que a vida pertence a Deus. Já vejo a baba escorrer pelo canto da boca do “habitué” de jantares inteligentes, mas detenha seu “apetite” porque não sou uma presa fácil.

Lembre-se: não sou um beato bobo e o niilismo é meu irmão gêmeo. Temo que você seja mais beato do que eu. Mas não se deve discutir teologia em jantares inteligentes, seria como jogar pérolas aos porcos.

Esse mesmo “habitué” que grita a favor do aborto chora por foquinhas fofinhas, estranha inversão…

Não preciso de argumentos teológicos para ser contra o aborto. Sou contra o aborto porque acho que o feto é uma criança. A prova de que meu argumento é sólido é que os que são a favor do aborto trabalham duro para desumanizar o feto humano e fazer com que não o vejamos como bebês. E não quero uma definição “científica” do início da vida porque, assim que a tivermos, compraremos cremes antirrugas “babyskin” com cartão Visa.

Agora o tema é o “retorno” do aborto. O aborto entrou na moda neste segundo turno. É claro que esse retorno é retórico. Desde Platão, sabe-se que a democracia é um regime para sofistas e retóricos.

A relação entre democracia e marketing já era sabida como essencial desde a Grécia Antiga. Por que o espanto quando os candidatos, sabendo que grande parte da população brasileira é contra o aborto (talvez por razões religiosas vagas, talvez por “afeto moral” vago), se lançam numa batalha pelo espólio do “direito à vida”?

O marketing é uma invenção contemporânea, mas a necessidade dele é intrínseca a qualquer técnica que passe pelo convencimento de uma maioria, desde a mais tenra assembleia de neandertais.

A democracia é, na sua face sombria, um regime da mentira de massa. Quando essa mentira de massa é contra nós, reclamamos.

Não há nada de evidentemente justo em termos morais ou de moralmente “avançado” na legalização do aborto. O que há de evidente em termos morais é a desumanização do feto como processo retórico (exemplo: “Feto não é gente”) e a defesa de uma forma avançada de “safe sex”: “Quero transar com a “reserva de comportamento legal” a meu favor. Se algo der errado, lavo”.

E não me venham com “questão de saúde pública”. Esgoto é questão de saúde pública. A defesa do aborto nessas bases é apenas porque o aborto legal é mais barato. Resumindo: “Safe sex, cheap babies”. E não me digam que o feto “é da mulher”. O feto “é dele mesmo”. E não me digam que “todo o mundo avançado já legalizou o aborto”, porque esse argumento só serve para quem “ama a moda” e teme a solidão.

Não pretendo desqualificar a angústia de quem vive esse drama. Longe de mim! Mas em vez de gastarmos tanta “energia social” na defesa do aborto, por que não usarmos essa energia para recebermos essas crianças indesejadas?

Vem-me à mente dois exemplos, aparentemente de campos “opostos”. Deveríamos aprender com a Igreja Católica e seu esforço de criar redes de recepção dessas crianças, aparando as mães em agonia e seus futuros filhos à beira da morte.

Por outro lado, são tantos os casais gays masculinos (os femininos sofrem menos porque dispõem de “útero próprio”) que querem adotar crianças e continuamos a julgá-los, equivocadamente, penso eu, incapazes do exercício do amor familiar.

Sou contra a legalização do aborto porque o considero um homicídio. Muita gente não entende essa implicação lógica quando supõe que seriam razoáveis argumentos como: “A legalização do aborto permite a escolha livre. Se sou contra, não faço. Se minha vizinha for a favor, ela faz”.
Agora, substitua a palavra “aborto” pela palavra “homicídio”, como fica o argumento? Fica assim: “A legalização do homicídio permite a escolha livre. Se sou contra, não faço. Se minha vizinha for a favor, ela faz”.

Quem é a favor do aborto não o é por razões “técnicas”, mas por “gosto” ideológico.

Fonte: Folha de S. Paulo

Vi no ”PavaBlog”

O Código Secreto

outubro 12, 2010

Felicidade, oh felicidade!
Revela-me a tua morada,
Me diz como agradar-te.
Ensina-me a tua lição.

Onde tu te escondes?
Busco-te tanto, e me perco em meus devaneios,
Sonho contigo, anelo a tua presença,
Vem revelar os teus segredos.

Momentos felizes não mais
Quero realmente ver-te
Quero ouvir o teu pulsar,
Sentir o teu cheiro,
Esconder-me no teu abrigo.

Sonhos, quimeras, fantasias, ficções
Tudo me faz lembrar você.
No silêncio do meu quarto,
No meu vasto mundo insosso,
No mais profundo mar.

Quem sabe um dia realmente te encontre,
E a tua glória me contagie.
Só assim serei essência tua,
E saberei que tu vais além do que penso.

Talvez não te encontre logo,
Mas sei que a tua perfeição sempre estará no meu coração,
Pois sei que assim, em minhas orações,
Um dia encontrarei o teu código secreto.

por Isabella Silveira

O que eu vou ser quando Crescer?!

outubro 12, 2010

Por que me perguntam tanto,

O que eu vou ser quando crescer?

O que eles pensam de mim?

É o que eu queria saber!

 

Gente grande é engraçada!

O que eles querem dizer?

Pensam que eu não sou nada?

Só vou ser quando crescer?

 

Que não venham com essa,

Pra não perder o latim,

Eu sou um monte de coisa

E tenho orgulho de mim!

 

Essa pergunta de adulto

É a mais chata que há!

Por que só quando crescer?

Não vou esperar até lá!

 

Eu vou ser quem já sou

Nesse momento presente,

Vou continuar sendo eu,

Continuar a ser gente!

 

Vou ser gente que ama a Deus

E vou servir ao Deus que ama a gente

Não preciso ser gente grande para começar a adorá-lo

Posso obedecer a Deus desde pequeno e com todo meu ser posso amá-lo.

Autor: Anônimo

 

Exemplo

outubro 11, 2010

Por Emmanoel Jetro

O pianista Liu Wei, que venceu a primeira edição do "China's got talent".

No ultimo domingo dia 10 de outubro, tivemos mais um exemplo, e dessa vez foi o pianista Chinês Liu Wei de 23 anos. ele venceu um concurso de calouros, “China’s Got Talent” tocando piano com os pés já que perdeu seus braços aos 10 anos quando foi eletrocutado.

São exemplos como esse que nos mostra a todo tempo o quanto somos capazes e podemos superar obstáculos e vencer luta que parecem perdidas no nosso dia-a-dia, muitas delas não são necessáriamente físicas podem ser emocionais, profissionais ou de qualquer outro seguimento de nossa vida.

Claro, não estou dizendo aqui que todos as nossos lutas serão vencidas, pois como seres Cristãos dependemos plenamente da soberania de Deus, lutamos? sim! mas, devemos entender que precisamos muitas vezes perder para amadurecermos e entendermos os planos de Deus pra nossa vida, o que muitas vezes demanda tempo (não gostamos de esperar, nem no senhor!).

Precisamos saber reconhecer muralhas que podemos transpor e precisamos transpor, sair do nosso estado de adormecimento.

Como sempre Deus usa as coisa que julgamos sem valor para nos fazer ver o quanto de potencial que ele colocou em nos e no entanto ficamos lamentando nossa fraqueza.

Que Deus abra nossos olhos, e vejamos o quanto de possibilidades temos a nossa frente e o quanto Deus tem feito nas coisas mais simples e que nos parece sem propósito, que ele tire de nossos olhos as vendas e vejamos oportunidades em tudo, mesmo que seja numa desistência, que usemos cada passo de nossa vida com o propósito de glorificar a Deus.

Aproveite sempre as oportunidades mesmo que você não vença neste momento, “pregue o evangelho, se for preciso use palavras!” (São Francisco de Assis)

Leia mais sobre Liu Wei G1.com

 


Eleições 2010 – 2º Turno

outubro 4, 2010

por Da20